Mostrando postagens com marcador Geração "Y". Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Geração "Y". Mostrar todas as postagens

22 setembro 2013

Pop in Rio




O Rio é Pop

O Rock in Rio

Logo, é Pop in Rio



Foi-se o tempo em que o Rock In Rio não passava de um festival de rock. Era aguardado ansiosamente por uma década — uma Vida! E chegada a hora, era como fosse a entrada pro nirvana, um clímax  da realização de um sonho. Ao final de cada dia, um prazer incontestável!


Como a geração "X","Y" está envelhecendo, e, a tendência mainstream é muito presente, novos ritmos e preferências musicais  foram incorporados ao evento.Tornando-se bienal, que é um período de ciclos de "hits" instantâneos.

Sendo assim, o nome mais indicado seria "Pop in Rio". Cheio de novidades e muitos patrocinadores, com certeza vai atender ao público "consumidor de conteúdo" que se louvam diariamente nas redes sociais, estão sempre plugados e consomem marcas que se comunicam com eles. 


Ter a geração "me me me" é mais importante que as gerações com gostos musicais "conservadores", digamos assim.  


Aos shows propriamente, fiquei muito incomodada com a postura dos cantores em não fazer questão de falar português, salvo o Bruce Springsteen tocando Raul, digno, aliás, nobre! Ouvimos dos demais, míseros "Obrigado". A impressão que tive é que os brasileiros presentes estão dominando o inglês legal,hein!


A Cidade do Rock foi muito bem estruturada, programação organizada, e produção de primeiro mundo. Porém,  conflitante com a cidade vizinha, o  Rio de Janeiro, com sistema de transporte falido e problemas de segurança de dar medo. 


Não serão os velhacos que dirão o que o Medina deve fazer. Não é POR UM MUNDO MELHOR, desculpa! Este slogan é inapropriado. Quantos porcentos do faturamento serão doados para reflorestamento, recuperação de encostas, logística reversa, entre outros afazeres sustentáveis?


O fato é que não há ações claras que justifiquem  a máxima, tão menos os ingressos caros. O projeto de neutralização de carbono dos espetáculos não é razoável. É como se fosse um "sujou, limpou". Ok!

Não.Não é isso que esperamos! no mínimo um show de rock, ´n´roll ou não! Mas...

Ainda dá tempo de honrar a marca.

Até 2015.

26 outubro 2006

O DILEMA DE MORAR SOZINHO - PARTE VI

Ninguém está seguro! Nem mesmo debaixo da igreja ―, pode vir a desmoronar sobre a cabeça dos fiés quanto menos se espera. Pessimismo? Não! Porque sou uma pessoa muito otimista, mas não posso fechar os olhos para a realidade que invade a nossa casa.

Sempre na virada de ano, fazemos “aquela” reflexão..., colocamos os pingos nos “is” que passaram despercebidos no ano velho, e, fazemos “aquele” planejamento para o ano novo. Bom seria se tudo acontecesse como planejamos.

Era apenas o 13º dia do ano novo, e as adversidades invadiram minha casa, ou melhor, um ladrão invadiu. Não sei há quanto tempo eu vinha sendo observada ou perseguida. O fato é que acordei às 3h da madrugada com um barulho de porta “se abrindo”. Quando abri os olhos, tinha um homem dentro da minha casa, não hesitei: Gritei muito alto como se fosse meu último grito.

Praticamente, o gatuno já estava de saída. Correu desesperadamente! Desarmado provavelmente, do contrário, teria me matado naquele momento ou até mesmo me violentado, pois ele estava lá dentro. Há quanto tempo? Eu não sei, é melhor nem pensar. Levou minha bolsa com apenas R$ 2,00 e todos os meus documentos e cartões. A pergunta que não quer calar: como encontrou a bolsa se nem eu mesma sabia onde eu tinha colocado? Talvez ele tenha entrado com uma lanterna. Ao se dá conta que saiu no prejuízo, abandonou a bolsa a uns 3 km de distância. Fui contatada no dia seguinte, pois tinha um telefone para contato.

Em estado de choque gritei por socorro. A vizinha da casa de frente me socorreu prontamente. Dando-me água e me levando para sua casa. Liguei para meu amigo Alexandre que, imediatamente, com sua mãe, saíram de madrugada ao meu encontro. Deram-me toda a assistência após o ocorrido.

Não consegui voltar mais para aquela casa “mal-assombrada”, assim posso dizer. Pois vivi um terror na minha vida. Fiquei desestruturada tanto emocionalmente quanto financeiramente. Pois as mudanças repentinas me desgastaram plenamente encurtando meu orçamento.

Nesta hora difícil, contei com o apoio da empresa onde trabalho, a qual me liberou das atividades da semana, com a Coordenação da Pós-graduação que renegociou as parcelas, pois eu iria abrir mão do curso para poder colocar tudo no lugar, e com a grande ajuda da minha melhor amiga, a Chris, que cedeu um pedacinho do seu lar até que tudo se resolvesse.

Já estou na minha nova casa. Estou começando do “zero”. As traças e os cupins roubaram meu espaço, mas não a minha fé. Confesso que senti muita falta do colo do papai e da mamãe. Se tudo na vida tem um preço... é por isso que existe o capitalismo!Morar sozinho é um grande dilema.

24 outubro 2006

O DILEMA DE MORAR SOZINHO - PARTE V

Retomando a série...

Já está na hora de deixar este estilo de vida? Pensar em casar, amancebar-se...juntar as escovas de dentes?Que dúvida cruel!

Ah! Como é bom chegar em casa e fazer aquela bagunça...não ter preocupação com nada. Sair e chegar na hora que bem entender, beber na boca da garrafa, comer miojo quase todos os dias, tomar café na padaria, esquecer de comprar papel higiênico, andar sem roupa pela casa. O que acabo de citar são algumas das mais variadas manias da geração “Young”.

Neste universo comportamental, é possível dá de cara com solteiros que moram sozinhos e fogem de casa. É a tal liberdade que todos os jovens querem, de às vezes, chutar o pau da barraca! E, se assim o fizer, não terá ninguém para reclamar ou até mesmo ficar preocupado com atitudes repentinas.

Mas, morar sozinho, não quer dizer que estamos livres das contas. Tudo tem um preço!. Se a independência for verdadeira, é claro que, não haverá ajuda monetária. Ou melhor, teremos que arcar com tudo sozinho. É nesta hora que vem aquele desejo de ter alguém por perto.

A idade vai avançando, as cobranças introspectivas também. Cai a ficha de que já está no “tempo” de formar uma família. Então... é chegada a hora de colocar na balança os prós e contra de morar sozinho. Mesmo batendo um leve desespero ao perceber que as coisas estão afunilando. É tempo de tomar decisões!

Agora, quando não se está preparado para tomar decisões... Como encarar um pedido ou a pura-espontânea-pressão de casamento derepentemente? Bem, pedir um tempo para pensar facilita a fuga, em outras ocasiões... é chorar na cama que é lugar quente!

14 outubro 2006

O Dilema de Morar Sozinho Parte IV
Não ao consumismo!

Para você que pretende montar a casa do zero, prepare o bolso, pois o consumismo é inevitável. Se você não é uma pessoa preconceituosa, eu sugiro de cara, lojas de R$ 1,99 para a compra de copos, pratos, talheres, lixeira, baldes, bacias etc. Enquanto a mobília, é muito pessoal, você deve ficar atento aos juros dos prazos de pagamentos longos, muitas das vezes, você paga o dobro da mobília, o pagamento a vista é melhor opção, dizem os economistas. Leia Mais...

16 setembro 2006

O DILEMA DE MORAR SOZINHO PARTE III
ESTAR SOZINHO OU NA SOLIDÃO?
Às vezes, vamos para casa apenas para dormir.O final de semana é muito curto. Pois temos tanta coisa para fazer que nem nos damos conta quando ele termina, sem falar na jornada de trabalho que inclui os finais de semana também, mas quando ela é assim, você tem pelo nos um dia na semana para você se organizar.Leia Mais

10 setembro 2006

O DILEMA DO MORAR SOZINHO - PARTE II
SOMOS RESISTENTES A MUDANÇAS

Não é à toa que as pessoas são resistentes a mudanças. Esse paradigma vale para qualquer situação que você for submetido. Principalmente na mudança de lar. Confesso que penei muito. Pois quando sai do último apartamento, tive por obrigação, deixá-lo em ordem: pintado e com as contas em dia. Aos trancos e barrancos, consegui! Leia Mais

03 setembro 2006

O DILEMA DE MORAR SOZINHO- PARTE I
TOMADA DE DECISÃO


Para tomar a decisão de morar sozinho é preciso fazer um planejamento. Pois você vai encontrar pela frente um monstro, o desconhecido!

Moro no Rio de Janeiro há seis anos. Já morei com uma tia, depois, com dois irmãos, mais tarde com um irmão e finalmente sozinha. Oba! Tomei a decisão por uma única razão, brigas! Eu e... Leia Mais

02 setembro 2006

NOVA SÉRIE

A partir de amanhã começa mais uma série no Portal: O Dilema de Morar Sozinho, que poderá ser conferida no Romantismo Sempre. É claro, você vai provar um aperitivo na página principal.

Na Banda do Marketing, estamos abordando outra série: A Caminho do Relacionamento. De forma simples, retratamos a realidade da jornada árdua que os profissionais de vários segmentos e setores estão percorrendo para garantir vantagem competitiva de suas organizações neste mercado volátil.

Essa série não é apenas para quem passa por este dilema, mas para quem já passou, para quem pretende passar ou para quem conhece alguém que vive este dilema.