22 setembro 2013

Pop in Rio




O Rio é Pop

O Rock in Rio

Logo, é Pop in Rio



Foi-se o tempo em que o Rock In Rio não passava de um festival de rock. Era aguardado ansiosamente por uma década — uma Vida! E chegada a hora, era como fosse a entrada pro nirvana, um clímax  da realização de um sonho. Ao final de cada dia, um prazer incontestável!


Como a geração "X","Y" está envelhecendo, e, a tendência mainstream é muito presente, novos ritmos e preferências musicais  foram incorporados ao evento.Tornando-se bienal, que é um período de ciclos de "hits" instantâneos.

Sendo assim, o nome mais indicado seria "Pop in Rio". Cheio de novidades e muitos patrocinadores, com certeza vai atender ao público "consumidor de conteúdo" que se louvam diariamente nas redes sociais, estão sempre plugados e consomem marcas que se comunicam com eles. 


Ter a geração "me me me" é mais importante que as gerações com gostos musicais "conservadores", digamos assim.  


Aos shows propriamente, fiquei muito incomodada com a postura dos cantores em não fazer questão de falar português, salvo o Bruce Springsteen tocando Raul, digno, aliás, nobre! Ouvimos dos demais, míseros "Obrigado". A impressão que tive é que os brasileiros presentes estão dominando o inglês legal,hein!


A Cidade do Rock foi muito bem estruturada, programação organizada, e produção de primeiro mundo. Porém,  conflitante com a cidade vizinha, o  Rio de Janeiro, com sistema de transporte falido e problemas de segurança de dar medo. 


Não serão os velhacos que dirão o que o Medina deve fazer. Não é POR UM MUNDO MELHOR, desculpa! Este slogan é inapropriado. Quantos porcentos do faturamento serão doados para reflorestamento, recuperação de encostas, logística reversa, entre outros afazeres sustentáveis?


O fato é que não há ações claras que justifiquem  a máxima, tão menos os ingressos caros. O projeto de neutralização de carbono dos espetáculos não é razoável. É como se fosse um "sujou, limpou". Ok!

Não.Não é isso que esperamos! no mínimo um show de rock, ´n´roll ou não! Mas...

Ainda dá tempo de honrar a marca.

Até 2015.

08 setembro 2013

Ladeira abaixo











Para

Lele

Pípedo



            No



Projeto

Re

Viver,



            Na



Praia

Grande.



           Do

Parque,


Para

Vê,

          

 De

Cima



           Da

Roda

Gigante.

(Autoria: Lena Casas Novas)  

Homenagem aos 401 anos de São Luís