13 abril 2011

Beba-se
n’água ardente
da minha boca

sua língua louca
bebeu conivente

com meu vício
de provocar [acidente]

foi um beijo que virou sina
e até mesmo suspeito

que causou [aquele] efeito
de tirar segundos de vida


Autora:Lena Casas Novas


12 abril 2011

(DES)ARMAMENTO

O Caso Realengo está desencadeando uma nova campanha pelo desarmamento, o debate está aberto e chegando ao seu apogeu. É importante lembrar que já foi feito um Referendo em 2005 no qual se perguntou: O comércio de armas de fogo e munição deve ser proibido no Brasil? Com 100% das urnas apuradas totalizando 323.368, mais da metade da população brasileira, 63,94% disse “SIM” para o homicídio, o suicídio e o massacre!Não acredito na tese do “porte de arma para defesa pessoal”, como foi pregado na campanha do “NÃO”. Não reagir é a melhor atitude para preservar a vida. As armas devem ser restritamente de uso profissional. A campanha foi mal conduzida, a pergunta foi mal formulada, perceba que o resultado se refere ao “NÃO” para a proibição. Será que as pessoas queriam dizer “NÃO" para a venda de armas achando que estavam dizendo "SIM" para proibição?


Eu não estou contra campanha, acho razoável, mas desta vez tem que conduzida com um viés de conscientização e não com um “novo referendo”. Porém se assim for, acho que será apenas para gastar dinheiro público – que pode ser muito bem direcionado para políticas de segurança como o combate à entrada ilegal de armas pelas fronteiras, ampliação do quadro da polícia com o intuito de eliminar policiais corruptos que vendem armas para bandidos e para pessoas “comuns” que com certeza não vão usar para caçar na mata.

Paralelo ao debate, o governo está arquitetando comprar "CAÇAS" para futuras guerras do Brasil X [...], ao invés de duvidarem da nossa inteligência. Os Ministérios da Saúde, Educação e Segurança devem se alinhar e fazer  planejamento voltado para "saúde mental" dentro das escolas de ensino básico e fundamental, implementar atividades complementares que estanque o tédio e a fadiga, além de analisar e tomar atitudes plausíveis em relação ao “bullying”. A violência está banalizada e se tornou um câncer social que vai destruindo famílias. Enquanto os administradores públicos ficam admirando seus umbigos, deveriam se preocupar com  o crack, uma arma química que está promovendo um genocídio em todo país.

Diga "SIM" a vida, diga "SIM" a paz!


01 abril 2011

TRANSFORMANDO O LIXO CULTURAL
[Exposto no Museu de Arte de Israel.]
Sabe aquele domingo de folga em que você está louco para descansar, deitar no sofá e ligar a televisão? Pois é... Às vezes, ele acaba se tornando um tédio, você fica tentando procurar algo para assistir e não acha. Desforra toda sua raiva no controle remoto e atira-o contra parede. Fica sem entretenimento, porque não passou na locadora para pegar aquele último lançamento de DVD. A única saída é ler uma revista ou livro, navegar na Internet, brincar com as crianças, dar banho no cachorro ou sei lá... Domingo é o pior dia para assistir televisão, pois ficamos com o lixo televisivo acumulado da semana.

Mas o mau cheiro é exalado pela sala, quando se fala em educação, pois a programação da TV aberta está carente. Algo educativo pode ser encontrado para as crianças na TV a cabo, mas quem não tem dinheiro para adquirir a assinatura fica a deriva ou apela para “TV gato” ou “gato net”, como são conhecidas dentro das comunidades carentes. 

Quando faremos a transformação do lixo cultural?

Quando deixarmos de assistir novelas que valorizam a infidelidade, a hipocrisia e a prostituição. Quando alguns programas de TV forem produzidos por pessoas competentes que apresentem programas culturais plausíveis. Quando crianças deixarem de ser erotizadas por propagandas de forte apelo sexual, enfim, quando muitas pessoas fugirem do conformismo e deixarem de ser contaminadas pelo lixo transmitido por várias emissoras.

É mais fácil trazer programas de TV pré-fabricados da europa e américa do norte, culturas importadas. Não venha me falar em patriotismo. O que temos hoje? Brasileiros que já se naturalizam americanos, espanhóis e etc.

Muitos brasileiros parecem pinto no lixo quando contemplam novas idéias americanas e européias nos meios de comunicação, as pessoas compram qualquer barulho para não sair da moda, ou pelos menos, para permanecerem nelas.

Vejam a imagem acima, se todo monte de lixo fosse transformado em arte, como seria o Brasil? O que você espera para o futuro do Brasil?
Este camarada aqui: Ariano Suassuna vai muito além... da minha indignação.

[REPOSTAGEM:24/03/2007]

"Se chegar mais perto..."