08 novembro 2011

SÉRIE: ESCREVE QUEM PODE, LÊ QUEM TEM JUIZO - II




Hoje abordaremos um assunto que está sempre em pauta nos veículos de comunicação -  a imersão do homem em seu mais novo habitat. E para falar sobre isso, convidamos o  historiador Ramon S. Nunes.

---------------------
O AMBIENTE VIRTUAL


Dizer que a Internet é um ambiente pessoal é superficial, dizer que a Internet é um ambiente público é incompleto. Muito já se debateu sobre o assunto - na própria Internet.

O bom Aristóteles que definiu nossas noções ordinárias sobre cidadania, não dispunha de Google.


A Internet é um meio social novo e crescente. Apresenta em si todo um ambiente social com elementos dos dois clássicos – público e privado – além de alguns próprios. Uma casa tem seu limite na intimidade familiar e no espaço físico residencial, o público é ilimitado, porém recuado por limites de disseminação. A Internet apresenta uma mesma ausência de limites, e bem maior, porém amalgamada à individualidade; tênue; de cada personificação.


Cada usuário, no mar de linguagem supostamente perene e interminável, em um barco mutável por suas interações, escolhas e afeições. Um país continental cortado por trailers, um condomínio sem ruas, de residências flutuantes, no qual pombos correios migram de casa em casa entregando mensagens. Tênue, e em sua maior qualidade (como é comum), seu maior dilema: Não existem calçadas no condomínio, os trailers não têm portas. O juízo das coisas não ultrapassa a mera troca de informações, sem as impressões físicas, os pequenos hábitos não verbalizados... Ela é um novo corte social, com novos problemas de ordem social... Entretanto, paro aqui, assunto para um outro artigo.

Nenhum comentário: