24 abril 2008

Meio Urbano
Acena com a mão
Para seu destino,
Segura no corrimão
Para impedir o abismo
.
Quem tem sorte no assento
Apagam as luzes oculares.
Quem fica em pé atento
Vê passar os lugares
.
Somos parte da matéria,
Do cotidiano que sacoleja,
Provocado pela inércia,
Que movimenta a peleja.
.
Acena com a mão
Para seu destino,
Segura no corrimão
Para impedir o abismo

Um comentário:

Teresa disse...

hum....... o destino.....

às vezes nem adianta segurar no corrimão...

=*