24 outubro 2007

LUTA-SE

Entregam-se à luta fratricida
Onde persevera a vitória
Vibram com a muralha partida
Atingida com a escória.

Vestígios tomam a terra
Com o suor delirante,
Estes, são homens de guerra!
Por causa do ego oscilante

Ouvem-se fortes gemidos
A planta do pé está nua
As farpas estão no caminho.

Com os braços destemidos
Colocam a foice na rua
Por causa do ego mesquinho


[LEIA + O Avivamento da Poesia]

20 outubro 2007

Coisa de Poeta 2


Peça-me para morrer, mas não tire esses olhos de mim...
.
.
.
.
Se eu morrer, você vai olhar para outra mesmo.


13 outubro 2007

Coisa de poeta 1

Vou me jogar na imensidão vazia.
Se eu sobreviver,
é porque escolhi o abismo do seu coração.
Se eu morrer,
é porque me afoguei na ilusão.


Como assim? Será que as pessoas realmente podem fazer isso?


Leia um trecho da obra o Avivamento da Poesia