24 outubro 2007

LUTA-SE

Entregam-se à luta fratricida
Onde persevera a vitória
Vibram com a muralha partida
Atingida com a escória.

Vestígios tomam a terra
Com o suor delirante,
Estes, são homens de guerra!
Por causa do ego oscilante

Ouvem-se fortes gemidos
A planta do pé está nua
As farpas estão no caminho.

Com os braços destemidos
Colocam a foice na rua
Por causa do ego mesquinho


[LEIA + O Avivamento da Poesia]

3 comentários:

Thiago Estulto disse...

Lindo!!

wander disse...

Saida,as águas correm mansas e tudo paira a senti-las...

Belo

Ana M disse...

vim agradecer a visita na casa da nina; seja bem-vinda! depois volto pra olhar, com calma, teu blog.